A Lenda do Café

Reprodução - Restaurante Abuzuz

 

Corre uma lenda sobre as origens do café contando que, num dado momento do século II, na cidade de Kaffa, região da atual Etiópia, perturbado com o sumiço de algumas de suas cabras, Kaldi, um responsável pastor, resolve sair à procura do restante de seu rebanho. Qual não foi sua surpresa quando encontrou seus animais tomados por uma grande agitação. Conta-se que ele ficou intrigado com a vitalidade das cabras, que comiam folhas e frutos de um arbusto comum nas montanhas abissínias. Elas estavam saltitantes e conseguiam percorrer longas distâncias sem demonstrar sinais de cansaço ou qualquer outra reação.

Kaldi deduziu, então, que o que dera a grande energia a suas cabras fora aquela estranha e nova planta repleta de pequenos frutos vermelhos. Ele havia descoberto o valor estimulante do café. Para observar melhor, kaldi passou a alimentar o rebanho com os tais frutos vermelhos e, ao final de alguns dias, também quis experimentá-los.

O pastor gostou do efeito estimulante que os frutos proporcionaram. Sentiu-se alegre, bem disposto, e passou a mascar café todos os dias, principalmente para resistir ao sono das noites de oração. Ele contou sua descoberta para alguns monges do monastério local. Mas, como as reações não foram favoráveis, ele resolveu atear fogo aos frutos, convencido de que seus efeitos eram “obras do demônio”. O aroma exalado pelos frutos torrados nas chamas atraiu muitos curiosos, que estavam interessados em descobrir o que estava provocando aquele maravilhoso aroma no ar. Os monges, então, resolveram recolher os grãos de café das cinzas. Esmagaram tais grãos e realizaram sua imersão em água quente, para ver que tipo de bebida obteriam. Os monges logo descobriram que o preparado os mantinha acordados durante as rezas e períodos de meditação. Notícias dos maravilhosos poderes da bebida espalharam-se de mosteiro em mosteiro, e assim, aos poucos se espalharam por todo o mundo.

 

Venha saborear um delicioso café puro, com doces ou salgados no Restaurante Abu-Zuz!

Visite nosso site.

Curta nossa fan Page.

Siga-nos no Twitter e no Instagram (@restauranteabuzuz)

Anúncios

Jogos da Copa com mais sabor!

Restaurante Abuzuz

Nos jogos da copa o lance, o drible e os gols ficam ainda mais animados quando reunimos a família e os amigos para juntos torcer, gritar, sofrer e comentar os melhores lances do jogo. Para acompanhar e celebrar esse encontro nada como saborear os deliciosos quitutes da culinária árabe. Entre as nossas sugestões estão as esfihas de carne, queijo, escarola, coalhada; kibes fritos; kibe assado; coxinhas; pão sírio com homus, babaganuj e coalhada seca. Para adoçar esse momento temos os doces árabes como folhados e ninhos pequenos de pistache, nozes e damascos. Faça seu pedido e deixe esse encontro ainda mais inesquecível. Para consultas e pedidos ligue 3315-9694.

Visite nosso site.

Curta nossa fan Page.

Siga-nos no Twitter e no Instagram (@restauranteabuzuz)

 

Esfiha de Zatar!

Esfiha Zatar

A maioria de nós conhece (e adora) as esfihas mais comuns: de carne, queijo, calabresa, escarola. Quando elas estão ali expostas na vitrine, dá água na boca.

Mas do que é feita aquela esfiha que tem um recheio diferente? Mais escuro. Só nos verdadeiros restaurantes árabes você vai encontrar a tradicional esfiha de zatar (ou za’atar, zaatar, zattar).

O zatar é um tempero muito parecido com o tomilho, no sabor, e é composto por pimenta, sumagre e gergelim e alfafa. O sabor é forte e picante.

No Líbano e na Síria, é comum as pessoas misturarem zatar e azeite em uma tigela e molharem pão, um petisco típico do café da manhã. E é por isso que no Restaurante Abu-Zuz, a esfiha de zatar é servida até às 11h, com uma rodela de tomate e um fio de azeite.

Se você adora explorar novos paladares, experimente!

Visite nosso site.

Curta nossa fan Page.

Siga-nos no Twitter e no Instagram (@restauranteabuzuz)

 

Conheça o sabor intenso do Zatar

Imagem

A maioria de nós conhece (e adora) as esfihas mais comuns: de carne, queijo, calabresa, escarola. Quando elas estão ali expostas na vitrine, dá água na boca.

Mas do que é feita aquela esfiha que tem um recheio diferente? Mais escuro. Só nos verdadeiros restaurantes árabes você vai encontrar a tradicional esfiha de zatar (ou za’atar, zaatar, zattar).

O zatar é um tempero muito parecido com o tomilho, no sabor, e é composto por pimenta, sumagre e gergelim e alfafa. O sabor é forte e picante.

No Líbano e na Síria, é comum as pessoas misturarem zatar e azeite em uma tigela e molharem pão, um petisco típico do café da manhã. E é por isso que no Restaurante Abu-Zuz, a esfiha de zatar é servida até às 11h, com uma rodela de tomate e um fio de azeite.

Se você adora explorar novos paladares, experimente!

Imagem

Visite nosso site.

Curta nossa fan Page.

Siga-nos no Twitter e no Instagram (@restauranteabuzuz)