Ceia de natal libanesa

Ceia de natal libanesa

 

No Líbano, apenas os cristãos comemoram a Festa do Natal. A ceia servida na noite do dia 24 de dezembro reúne familiares e amigos. Na mesa pratos do dia a dia ganham ingredientes mais sofisticados. O tradicional kibe é recheado com nozes e snoubar, também conhecido por aqui como pinole. O arroz marroquino é salpicado com pistache, amêndoas e snoubar. É com este arroz que o peru e o carneiro são recheados.  Na mesa potes de frutas secas como nozes, amêndoas, avelãs, uva passa, damascos, tâmaras secas, figos secos, castanhas portuguesas decoram a mesa que também recebe uma grande quantidade de frutas como uvas, pêssegos, ameixas, damascos e figos, que decoram arranjos maravilhosos. Os doces típicos desta noite natalina são o mahmul de tâmara ou de nozes. A massa desse doce é feita com manteiga, semolina, leite e um pouco de açúcar. O recheio de nozes é perfumado com água de flor de laranjeira. Outro doce que frequenta com glamour as mesas mais tradicionais é o buche de Noel, um bolo de chocolate no formato de um tronco coberto com chantilly decorado com bonequinhos de Papai-Noel.  Entre o aperitivo, jantar e sobremesa bom mesmo é estar com a família e os amigos reunidos em um clima de paz e harmonia.

Carne de Cordeiro

Feijada, uzi e fatti de cordeiro

O cordeiro é o carneiro jovem e sua carne é muito apreciada pelo povo do Oriente, dentre eles, sírios e libaneses.

Fonte de proteínas e extremamente saudável, a carne de cordeiro é muito saborosa, suculenta e pode ser preparada de diversas formas.

No Restaurante Abu-Zuz, você poderá experimentar cinco pratos: feijoada de cordeiro, uzi de cordeiro, fatti de cordeiro, arroz marroquino com cordeiro e michui de cordeiro. Venha conferir!

Visite nosso site.

Curta nossa fan Page.

Siga-nos no Twitter e no Instagram (@restauranteabuzuz)

 

A história da esfiha

Esfiha

Você sabia que a esfiha era nada mais que um pão coberto com carne, tradicionalmente de carneiro, e cebola? Isso foi há muitos anos na Síria e no Líbano, e daí nasceu a ideia da esfiha aberta, aquela famosa massinha redonda parecida com uma pizza.

Os imigrantes árabes espalharam esta delícia pelos outros países do Oriente Médio, chegando até o Ocidente e, claro, ao Brasil, onde é muito popular.

Com o passar do tempo e com tanta mistura de culturas, a esfiha ganhou a versão fechada, criada pelos ocidentais, e foi incrementada com recheios variados, como queijo, frango, calabresa, escarola, requeijão e o zatar.

No Restaurante Abu-Zuz você pode experimentar diversos sabores das deliciosas esfihas, tanto abertas quanto fechadas. Você escolhe!

Visite nosso site.

Curta nossa fan Page.

Siga-nos no Twitter e no Instagram (@restauranteabuzuz).